© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook

Walesca Cassundé

Nome literário de Walesca de Araújo Cassundé, cuiabana, residente em Campo Grande-MS. Formada em direito pela FUCMT. Advogada por opção e criminalista por vocação. Poeta por catarse, libertação física e purgação espiritual. Em março de 2017, lançou “Confissões Essenciais”, pela Ed. Gráfica Ruy Barbosa.

ALTERIDADE

Bem que se quis tradicional;
Mal que foi tudo obscuro.
Bem que se quis abençoado;
Mal que não era possível.
Bem que se quis amor;
Mal que não tinha futuro.
Bem que se quis imenso;
Mal que se quis sozinha.
Bem que se quis ser única;
Mal que era só apenso.
Bem que se quis eterno;
Mal que foi tudo efêmero.
Bem que se quis inteiro,
Mal que só um queria.
Bem que se quis correspondido; 
Mal que não foi assim.
Bem que se quis romance;
Menos mal que nunca faltou poesia.
Bem que nem tudo foi em vão;
Jamais faltou empatia
Ou capacidade de reinventar-se;
Bem que se quis alegria;
Menos mal que faltou talento pra não ser feliz.
Bem que se quis...

POEMINHA PRETENSIOSO

Eu sou toda ouvidos.
Sou toda boca
Carnuda e vermelha,
Ávida de beijos;
Sou toda desfalecida dos teus abraços,
Entontecida, embriagada
e lânguida do teu cheiro,
arrebatada do teu toque.
Eu sou toda emoção e coração,
Sou sensibilidade,
lascívia,
Urgência e desejo,
devassidão;
Sou carência
e lassidão,
Desespero...
E solidão!