Stefânia Pereira da Silva 
Foi selecionada no Prêmio Pixé de Literatura.

ESCRITOS

Tanta tranqueira no armário
e eu sem coragem de jogar fora,
escritos do passado, perspectivas de agora...
Tanto sonho encaixotado,
tanto projeto falido,
desejos enjaulados e
um coração envelhecido.

Tanta memória na tranqueira,
tanta conversa, risada, besteira...
Tanta vida nos papéis...
Lembranças aos carretéis!
E eu sem porquê pôr no lixo
amigos que não são mais,
por gracejos da vida, por caprichos...

Não quero olhar para trás,
mas as recordações me remetem a uma calma
que eu não tenho ânimo de rasgar.
Embora tenha havido tanta história nos diários
que, por medo de permanecerem, eu quis apagar.
Hoje, são segredos bem guardados.
Nem sei se havia mesmo pelo que zelar.

Tanta poesia escondida,
tantos detalhes a recitar,
talentos que foram enterrados,
talvez, não sei, até tomados
por falta de os usar.
Tanta letra faltando nas conversas 
pra esclarecer a pressa
que eu tinha de crescer!
Tanto rancor do passado,
decepção com o presente,
do futuro, incerteza do que vai ser da gente...

Tantas lágrimas choradas
e frases engolidas
E tanto arrependimento!
Seria melhor olvidar
(pra memória não atrapalhar a vida)
Certas circunstâncias e certos sentimentos.

Deve ser por isso que a vida passa
e o tempo voa:
pra gente se livrar das coisas ruins
e sentir saudades das boas.
Talvez seja por isso que o tempo passa
e que a vida voa...

© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook