© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook

Silvio Sartori

Mestiço, artista visual...

SILVIO SARTORI POR ELE MESMO

Sou fruto da mistura da mistura, mãe misturada no Acre, pai misturado em São Paulo. Nascido em Barra do Bugres, permaneço até os 5 anos. Dos 6 anos aos 23 vivi em Cuiabá, capital, do Estado de Mato Grosso, (já nem tanto!). Sou artista - plástico, madeira, papel, performance - de vida. Ser artista para mim é acima de tudo, observação, análise e proposta no campo do sentimento e consciência. Artista por crença própria, de caminho autodidata. Trato a arte como um dos elementos naturais de transformação e evolução humana. Iniciei minha produção e estudos nas artes com anseio profissional aos 17 anos. Perambulando dias e noites, encontrei o meu caminho nas artes plásticas.


No ano 2000, aos 21 anos de idade, tive a felicidade de receber o primeiro prêmio no Salão Jovem Arte do Estado de Mato Grosso. Com os valores ganhos no Salão, investi na criação de um ateliê livre na maior escola pública do estado. Ali foi realizado o projeto artífice, onde ao todo passaram 400 alunos. No final do projeto, realizou-se uma exposição coletiva dos participantes na secretaria estadual. Na ocasião, o projeto foi acompanhado pela Unesco, onde se conferiu um prêmio à escola por iniciativas do gênero. No ano 2003, fui o selecionado na categoria de Artes Plásticas do prêmio Ação Cultural do Estado, o qual me oportunizou a realizar a minha primeira mostra individual em Museu, na UFMT. Em 2004 passei viajando por várias cidades do Brasil. No ano 2005 me fixei e desenvolvi projeto em arte e educação na Escola Piaget em Goiânia, Goiás. Em 2006 me tranfiro para Itália, Europa, onde adquiri a cidadania por descendência paterna onde realizei várias interferências urbanas. No ano 2008, me transfiro para Londres, Inglaterra e me dedico ao aprendizado da língua inglesa. No ano de 2009 intensifico como artista de rua em vários pontos turísticos da cidade de Londres e a redores. 


Em 2013 realizo várias exposições informais na cidade de Londres. Retorno ao Brasil no final de 2013. Em 2014 e 2015 viajo de moto por 9 estados brasileiros percorrendo 40 mil km, trabalhando como artista visual na rua e performances de interação, durante a viagem também foi desenvolvido um projeto na área da palhaçaria hospitalar, com a criação do personagem Silvio Sadio. No ano de 2016 retorno a Cuiabá para realizar uma exposição no Museu de Artes do Estado de Mato Grosso, onde produzi 111 pinturas executadas em praça pública e no espaço do museu. Todo o material pintado virou 3 mil coleções com 11 figurinhas cada, o que resultou na exposição individual Coleção de figurinhas de Silvio Sartori. No ano de 2017 executo um atelier fixo na cidade de Paraty e um atelier móvel em cima de uma bicicleta, onde realizei performances na rua, repnings de pintura em espaços públicos e divulgo a minha produção visual no formato de figurinhas. Em 2018 faço um retiro para a natureza em uma ilha quase deserta para fazer uma reflexão profunda. 


Estou trabalhando para criar uma identidade no ciberespaço, nas redes sociais, além das atitudes convencionais, exposições e venda das obras originais em mostras coletivas e individuais.