Rubenio Marcelo

É poeta, compositor e crítico, membro efetivo e atual secretário-geral da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras (Cadeira nº 35) e membro correspondente da Academia Mato-Grossense de Letras. Autor de 12 livros publicados e 3 CDs. Recentemente, lançou o livro “Palavras em Plenitude – prosa e crítica cultural”, e o CD musical “Parcerias: na poética de Rubenio Marcelo”. É um dos autores homenageados no livro “Vozes da Literatura” (FCMS), reunião de autores contemporâneos. Também advogado e revisor, reside em Campo Grande/MS.

COTIDIANIDADES

 

I.
olhares absortos
cruzam-se
em absurdas vias triviais...

inda que intrusos
sobreolham-se
em degraus
encandeados de degredos...

 

II.
obscuros olhares
                observam-se 
                e servem-se 
e redimem as pálpebras habitadas
nas fronteiras do ímpeto...

– obstinadamente mentem
  [nada obstante
   as intrusas obsessões]

III.
obscenos olhares
abraçam-se sem acenos 
nem incensos...

– em  incêndios absconsos
   abracadabram-se
                 nas abas 
             dos sensos e cossenos
        das exterioridades...

IV.
olhares abstratos
demarcam obstáculos
e aquietam-se
irrealizados de volúpias...

em sinuosas inconfidências
observam-se e absorvem-se
servem-se
               e absolvem-se
entre sarjetas e arranha-céus...

 

 

 

 


ESTAÇÃO NIRVANA

no primeiro poema 
terei que partir...

mas não levo mala
nem o velho relógio
        nem traje de gala

‒ a minha urgência já foi num trem-bala...

© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook