© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook

Pablo Rezende

É filho de dona Ilda, poeta e professor de Língua Portuguesa, Literatura e Redação da Rede Pública do Estado do Mato Grosso. É graduado em Letras – Português/Inglês pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) e Mestrando em Estudos Literários pela Universidade do Estado do Mato Grosso (UNEMAT). É autor do livro O dever e o haver, publicado pela Literata, em 2011. Têm poemas publicados em várias antologias poéticas nacionais e internacionais.

SAUDADE


(em caixa alta como um grito)

Um gosto acre na boca
Um gesto ocre no coração.

 
A FLAUTA E A VÉRTEBRA

 

Há uma foice sobre a penteadeira
Há um esmeril em meu bolso.
Há duas formas que se batem
Como o chão e o corpo que cai.

Dois gestos unívocos
Como o olho e a flecha
Como o verme e a fruta
Que não se olham e não se veem diante da luz.

Feito as presas de um lobo
Feito o pescoço de uma lebre
Dois Astros que orbitam a mesma cegueira
(filhos negros de uma mãe albina)
A Flauta e a Vértebra em meu próprio verso.
Não vês?