Matheus Guménin Barreto 
(1992- ) é poeta e tradutor mato-grossense. É autor dos livros de poemas A máquina de carregar nadas (7Letras, 2017) e Poemas em torno do chão & Primeiros poemas (Carlini & Caniato, 2018). Doutorando da Universidade de São Paulo (USP) na área de Língua e Literatura Alemãs - subárea tradução -, estudou também na Universidade de Heidelberg e na Universidade de Leipzig. Encontram-se poemas seus no Brasil, na Espanha e em Portugal (Revista Cult, Escamandro, plaquete “Vozes, Versos”, Gueto, Palavra Comum e Diário de Cuiabá; entre outros), e integrou o Printemps Littéraire Brésilien 2018 na França e na Bélgica a convite da Universidade Sorbonne.

3. EL RUMOREAR 

(26-3-2017, “Poemas espanhóis”)

 

(e entre os muros entre os ramos entre as fontes
por detrás do espelho
-d’água
rumoreja baixinho aquele sangue
derramado
além-mar)

 


4. ALGECIRAS 

(26-3-2017, “Poemas espanhóis”)

 

encontro de tempos mais que de
pesso
as esquinas calçadas muros sombra.
como todo encontro este também:
de ausências
e de vento.

 


6. OLEAJE 

(27-3-2017, “Poemas espanhóis”)

 

muro branco
onde os adeuses do mar se recolhem junto à sombra,
salgados e frescos.

© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook