painting-55.jpg
marina-vergueiro.jpg

Marina Vergueiro 
É poeta, jornalista e ativista dos direitos da saúde afetiva e sexual e antigordofobia. Com poesias publicadas em diversas Antologias dos saraus de São Paulo, é autora de “Exposta” - seu primeiro livro autoral. Apresenta o programa de entrevistas “Senta Aqui” às segundas-feiras às 21h nos canais digitais da Agência Aids. Vive com hiv desde 2012. Site: marinavergueiro.com.br IG: @marina_vergueiro

EXPOSTA

Exposta, mas não à disposição
Gerada e nascida da fenda em que se perdeu Adão
Seu machismo me ataca pelas costas
Como se fosse seu o meu direito de dizer não.

Falar de sexo não me faz um objeto
Morda a língua diante da tentação
Meu corpo não é vitrine
Minha vida não é produto
Me fartei do seu raciocínio bruto
Que me calou por séculos de submissão
O seu complexo de inferioridade
É infantil e pedante
Diante do seu falo, não me calo!
Cansei de sua mentalidade ignorante
Não aceito mais a sua verdade
Meu útero mantém a humanidade viva!
E hoje meu desejo tem voz ativa
Para ela me entrego, para ELE NÃO!
Suas palavras chulas não me atacarão!
Dou risada do seu pré-conceito, seu moralismo
Sua cartilha de machão.
Não sou puta, não sou santa
Falo o que me entope a garganta
É o respeito que me dá tesão.

Sou sim e sou não
Sou o que me der vontade
E não preciso de sua permissão
Da fenda vim, dela continuarei
Sou fruto da exposição
Mas não boneca inflável
Com dois seios e um vão
Antes de me julgar do calabouço de sua integridade
Memorize que jamais me deitarei em seu colchão
Uso e abuso da liberdade
E seu assédio encontrará a persistência de meus Nãos
Meus versos de amor não encaixo em rótulos
E por apreço a meus óvulos
Repito
Respeito me dá tesão!

CRUA

Não uso batom porque quero
Que resquícios de beijos meus
Sejam lembranças e desejos
Não marcas vulgares
Dissonantes e inapropriadas
Prontas para serem borradas
Por dedos que não os meus.
Não uso batom porque quero
Sentir o gosto da sua boca
E que você sinta a intensidade
Do amor que meus lábios professam
Sem pudores, sem tabus
Lábios, dentes, línguas e salivas
Cozinhando sentimentos nus.