Maria Ferreira 
É uma baiana que mora em São Paulo, cursa graduação em Letras-Espanhol pela UNIFESP e desde 2013 administra o blog literário Impressões de Maria. Sua relação com a Literatura sempre se deu no âmbito da leitura, mas recentemente passou a enxergar na escrita uma possibilidade. Além de poemas e contos, está escrevendo seu primeiro romance.

CONFUSÃO

Tem que levantar
Não quer levantar
Da cama, do chão
Do fundo do poço
Quer entender
Como os sentimentos
Se tornaram tão confusos
Como as pessoas
Estão tão confusas
Tão difíceis de entender
Esse grito de socorro
Continua ecoando
Os ouvidos atentos
O coração
As mãos
O corpo
Tudo se dispõe
A ajudar
Basta que outro
Queira ajuda.

DISFARCE

Odeio ver seu rosto em todas as caras
E odeio essa seriedade na minha.
Odeio a linha
Que meus lábios fechados formam
Porque não sinto vontade de sorrir
E sinto um embrulho na garganta.
Algo quer sair daqui de dentro
Pelos olhos e pela boca.
No entanto,
Não sai. Retenho.
Pintei de vermelho
Meus lábios
E uniformizei minha pele
Como se com isso pudesse disfarçar a dor.
Não posso.

© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook