Marcos Almeida Pfeifer
É jornalista, 39 anos, que quando canta, toca violão e está entre amigos gosta de ser chamado de Caco. Meu coração pulsa com a música e a poesia brasileira de Tom Jobim, Milton Nascimento, Maria Bethânia, Gilberto Gil, Roque Ferreira, Clementina de Jesus. Tenho 17 anos de rádio em emissoras de Porto Alegre, como a Rádio da Universidade onde atuei como produtor, apresentador e repórter até 2015. Há 5 anos conto histórias e apresento música gaúcha, popular brasileira e sul-americana no programa Falando da Terra na radiosul.net - Sou graduado em jornalismo pela UFRGS (2009) e trabalho também como revisor. Já fui professor voluntário de Geografia em Pré-Vestibular Popular de Porto Alegre. Acredito na arte e na música como transformadoras do ser humano.

E estamos em abril e ainda não partilhei aqui “As cores de abril” doce marchinha de Toquinho, natural canção da generosidade de Vinícius de Moraes, o poeta. Cantores, compositores e parceiros, Toquinho e Vinícius, Vinícius e Toquinho, tornam mais possível a nossa crença no amor, na vida, nas perspectivas. “As flores de abril não querem saber de dor”, “quanta beleza, tudo é pura visão”, e “a natureza transforma a vida em canção”, “sou o poeta quem diz, vai e canta meu irmão!” com essas sentenças delicadas em forma de poesia, aproveite o voo do bem-te-vi dessa canção e reconhece o amor manifesto em ti, através da beleza do céu de abril, das cores e da sensação dessa época do ano. E nessa quarentena solidária à vida de todos, aproveitar o recolhimento, o serenar do tempo cronológico e sentir esse dia natural que inundou de beleza o poeta, plantando a flor em Vinícius que a transformou em poesia e aguada, cresceu na melodia de Toquinho; abril que floresce azulada (o mês é uma flor) sob o céu do Cruzeiro do Sul na alma do poeta do cotidiano da terra, de tudo, do povo, na profundidade do amar sempre mais novo, Carlos Drummond que nos apresentou os dias lindos de Andrade. E para esses tempos, para hoje, a alegria de cantar a poesia que não tem idade, a esperança alegre de ser música, estar atento e viver à poesia do seu coração.

© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook