© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook

Márcio Ricardo
É poeta, slammer, músico, palestrante e produtor cultural. Autor de Felicidade brasileira, lançou, em 2016, o CD Gratidão, e, em 2019,  o EP Existindo Poeticamente. O poeta ganhou notoriedade ainda muito jovem, fazendo com que ganhasse o respeito de pessoas como Maria Vilani; também, em razão de sua potência poética, é muito admirado nos saraus paulistanos pelos quais passa. Conduz a roda de poesia do CAPS (Centro de Arte e Promoção Social), no Grajaú, e realiza frequentemente a Palestra Gratidão em escolas públicas; em 2016, recebeu o Prêmio de Inovação Comunitária, oferecido pela Brazil Foundation, pelo Projeto Gratidão. Ficou em segundo lugar no I Festival de Poesia da Cidade de São Paulo, em 2014. Também é torcedor fanático do Boca Juniors.

CONTROLE

Eu falhei 
E também falei, 
Quando coloquei na cabeça 
Que éramos eternos. 

Quando prometi jogar o terno na poça
Aquela da mesma linha que eu pedia você em casamento,
Eu lamento e alimento 
A esperança de que tudo ficará bem aqui dentro. 

Liguei a TV 
E via você em todos os canais, 
E procurava que nem louco 
Quando eu nem via mais. 

Procurei você dentro da natureza
 Na natureza de acreditar que você ouviria ao menos uma vez: 
Desculpa.

Você é um daqueles bilhetes da sorte
Que achei em meio à tantos muros do meu coração, 
Que de tão confuso como um labirinto 
Quebrou as paredes e mostrou um único caminho:
Você. 
A natureza foi desmatada 
Pela angústia da solidão, 
Os muros voltaram a ser labirintos 
Trazendo de volta o tanto de coisa que sinto. 

E os canais de TV
Não te acho mais em nenhum,
Tirei e botei novamente a tomada 
Ainda de vez em quando faço isso até hoje.

Eu pareço você 
Quando dizia que eu não era mais um, 
Troquei as pilhas, mas minha expressão ainda está cansada 
Dentro de mim, percebi que não tenho você e perdi o controle. 

Ainda que hoje eu não seja tão ansioso, percebo que ainda me acho
insuficiente pra outra mente, coração e corpo.