© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook

Lucinda Nogueira Persona

Escritora, poeta, professora e membro da Academia Mato-grossense de Letras. Nasceu em Arapongas, PR, e vive em Cuiabá, MT. Estreou na poesia em 1995 com o livro Por imenso gosto. Publicou, entre outros: Ser cotidiano (1998), Sopa escaldante (2001), Leito de Acaso (2004), Tempo comum (2009), Entre uma noite e outra (2014) e O passo do instante (2019).

PASTAGEM

Grânulos de pó no ar
sem que a vista possa alcançar
Invisível rebanho
mais morto
do que se pode imaginar
com toda a serenidade
que lhe cabe
a poeira na pele
ao lado de bactérias
famintas ovelhas
que aos olhos
também não se desvendam

A pele e suas camadas
firmemente unidas
como estratégia de defesa
(até onde se sabe)
A epiderme e a derme
campo de pastagem
(salvo melhor juízo).
 

O AR DA GRAÇA

Nesta casa
    há anos
nenhuma questão envenena
o hábito familiar
Na cozinha
    a mesa em si
é apenas aquilo
que se pode dela esperar
Na sala
o sofá já não se recorda
há quanto tempo resiste
no mesmo lugar
No quarto
a cama encarna
a expressão comum
da ordem eterna
para descansar
    Que voz
    dita ao coração
    a obrigação
    de se acomodar?