4.4.png

Luciene Carvalho
A escritora é corumbaense, vive em Cuiabá, no Estado de Mato Grosso/BRASIL - desde 1974 - tendo já recebido o título de cidadã cuiabana. É membro da Academia Mato-Grossense de Letras/AML. Entre as obras poéticas publicadas, citamos: Aquelarre (2007); Insânia (2009); Ladra de Flores (2012)  e Dona (2018).

MELADO


I

No tacho
Grande, enorme
Ferve
O caldo da cana
A pele da negra 
Mexe a pá
Absorve
O fogo suor
O calor
A vida consome 
No doce
Melado

 

II

O roubo foi consumado 
Ouro, dinheiro
Do que foi roubado 
A mente separa:
Pro guri: um calçado
Pra mulher: roupa cara, um salto
Pra comida
Pra ele: uma coisa 
De alegrar a vida...
Nem viu  viatura
6  tiros
Tá cravada a criatura 
No asfalto 
O sangue 
Coroa e cabeça morta
Melado


III

Ela é linda 
De quatro
De uma cor
Que ainda chamam mulata 
Mexe a anca 
De um jeito de lado
O freguês
Geme
Arremete
Uma e outra vez
A nuca da fêmea descansa
Garantiu o aluguel
Até ontem
Ela era criança...
O sêmen
Desenha lagos no lombo
Consumado 
E pago
Melado