© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook

Lucas Rodrigues

É jornalista. Coordena o Jornalismo do Governo de Mato Grosso e é autor do livro “Pirotecnia”. Gaúcho de criação, só virou gente mesmo (ou quase isso) em Cuiabá, onde mora desde 2011. Ainda não sabe se o que escreve é crônica, conto ou uma mistura desarmônica dos dois. 

[4m47s na linha]
- Bom dia, meu nome é Raquel, do banco Itander. Falo com o senhor Osvaldo?
- Sim, sou eu.
- Em que posso ajudar, senhor Osvaldo?
- Então, a validade do meu cartão de crédito tá expirando no próximo mês e queria que vocês me enviassem outro.
- Aguarde um minuto enquanto eu checo o seu cadastro...
[secretária eletrônica: Fique esperto! O banco Itander não pede senha, números de documentos ou dados do cartão por e-mail. Dúvidas ligue para o SAC, acesse o internet banking ou baixe o app] 
- Senhor Osvaldo, desculpe a demora... O senhor ainda mora na Avenida Historiador Rubens de Mendonça, nº 41?
- Não, me mudei há uns três meses.
- Só um instante... Pode me informar o novo endereço?
- É... Rua 47, bairro Quinto Colombo, nº 111.
- Tem algum complemento?
- Condomínio Luxxor, apartamento 1210.
- Desculpe, não entendi. Lã do que?
- Se escreve Luxxor, com dois ‘xis’
- Igual o sabonete?
- Isso, só que vai dois ‘xis’ ao invés de um.
- Depois dos ‘xis’ vem o quê?
- Aí vem ‘o’ e ‘r’.
- ‘O’, ‘e’, ‘r’. Luxxoer.
- Não, não, sem o ‘e’.
- Sem ‘o’ e sem ‘e’. Vou soletrar e o senhor me confirma: L-U-X-X-R.
- Não, falta o ‘o’ depois dos ‘xis’.
- Ah tá, só mais um instante. L-U-X-X-O-R. ‘Luxxór’. Isso?
- Isso, de forma escrita é isso.
- Como assim senhor?
- É que você disse ‘Luxxór’, mas se diz ‘Lãkissõr’.
- ‘Lúxxôr’?
- Não, não. A pronúncia e a tônica estão erradas.
- Hummm.
- O ‘Lu’ você fala como se fosse ‘lã’. Lã de ovelha. Mas não ‘lã’ forte. Um ‘lã’ delicado, colocando a língua nos dentes superiores quando pronunciar o ‘ã’.
- Ãhn?
- Assim, só que mais ameno.
- Não, não, eu disse “ãhn” no sentido de “hein”. Não entendi como fazer.
- É ‘lã’ estilo modelo, sabe?
- Não era de ovelha? É ‘lã’ de grife?
- Eu quero dizer no jeito de falar. Fala ‘lã’ igual modelo dando entrevista, meio paulista.
- Ah tá. ‘Lãã’. 
- Olha só, perfeito. Bem isso, como se tivesse um ‘a’ mais pequenininho ecoando depois.
- Obrigado. Mas e o resto?
- Aí os dois ‘xis’. Mas eles juntos não tem som de ‘xis’. Mas de ‘kiss’ com dois ‘ésses’.
-  ‘Quis’ é aquele joguinho de perguntas né?
- Não. Esse se diz “cuíz’, o som do ‘u’ fica bem evidente. É mais fácil você pensar em ‘Kiss’ com ‘k’. Lembra daquela banda de rock?
- Não sou dessa época. Só conheço a Karol Conka.
- Aí você junta o ‘lã’ com o ‘kiss’.
- ‘Lãkíss’.
- Quase, mas sem acento no ‘i’.
- ‘Lãkiss’.
- Ótimo. Agora junto o “õr”. Mas sem muita tônica, igual senhor, doutor. Um ‘õr’ mais sublime, mais cantado.
- ‘Lãkissõr’.
- Magnífico, muito bom... Mas... e o cadastro do endereço? Atualizado?
- Sim, senhor Osvaldo. Vou verificar agora o envio do cartão. Só um minuto...


......


- Senhor Osvaldo, desculpe novamente a demora. O banco Itander lamentavelmente não renovará os serviços de cartão de crédito do senhor, em razão de dívidas pretéritas e atrasos que estão interferindo na sua pontuação do Serasa.
- Pontuação do Serasa? Nem sabia que isso existia.
- Lamento senhor, é que atualmente, em uma escala de 0 a 1000, sua pontuação é de 382, o que impede a renovação do serviço. Seu score está muito baixo.
- Meu o quê?
- ÎSCÔRÉ. 
[tutututututututututu]