MALA-LECHE-2003--120x40x40-cms.png
Lilly Magaflor.jpg

Lily Magaflor 
Olá a todos, sou Lilly Magaflor, poeta curitibana. Sou autora do livro A Flor Invertida. Embora, sempre tenha amado poesia e trabalhado como declamadora na minha adolescência, foi apenas na pandemia que me libertei e comecei a escrever. Sou mãe, trabalho com Mentoria e com Arte. Minhas redes sociais são um espaço de divulgação do meu trabalho autoral e ainda tenho um canal no YouTube no qual declamo Poesias de poetas de todos os lugares e épocas.

 

LAMBEDURA DE FERIDAS

Lambendo as feridas abertas antes,
descubro o peso que carrego.
Âncoras me estancando no fundo
do mar, onde não há luz ou ar.
Pesos de acúmulos sombrios 
cultivados na vivência distraída
e que agora, escondem-se no
espelho fingindo ser quem sou.
Feridas abertas a melancolia
dos dias, que se acomoda 
purulenta e fétida.
Meus olhos miram o passado
e arrancam cascas e abrem cicatrizes.
Espuma tardia de um mar revolto.
Minha mente!
A prisão absoluta.
Arranho a pele e corto os dias.
Sangro inutilmente.
Vejo o pus avançar em forma
de uma tristeza verde, amarelada,
infeccionando toda minha esperança.
Queria que brigassem fungos,
mas brotam apenas julgamentos
e condenações estúpidas.
Meu passado não me condena.
Eu me condeno.
Me condeno a entrar com unhas 
em cada ferida e as fazer sangrar,
doer, abrir, infeccionar, me destruir.
E na piedade patética legada a
mim mesma, me ponho a lamber feridas.
Na boca o gosto do passado, do não
perdão, de sangue e do pus melancólico
que escorre para nunca me deixar esquecer.