© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook

Lilian Rocha 
É natural de Porto Alegre, é Farmacêutica e Analista Clínica (UFRGS), especialista em Homeopatia (ABH), Musicista (Liceu Palestrina) e Escritora. Autora dos livros A Vida Pulsa- Poesias e Reflexões (Alternativa), 2013, Negra Soul (Alternativa), 2016 e Menina de Tranças (Taverna), 2018. Coautora do livro Leli da Silva- Memórias: Importância da História Oral (Alternativa), 2018. Coorganizadora da Antologia Poética Sopapo poético- Pretessência (Libretos), 2016. Membro da Coordenação do Sarau Sopapo Poético- Ponto Negro da Poesia, Acadêmica da Academia de Letras do Brasi- Seccional RS (ALB-RS), Diretora de organizações Sociais da ALB-RS, Conselheira da Associação Negra de Cultura (ANdC), Membro da Sociedade partenon Literário e da International Writers and Artist Association (IWA), Acadêmica da Academia União Cultural. Seus poemas são publicados em diversos sites, antologias, revistas, blogs e redes sociais.

A FOLIA ACABOU

 

A folia acabou

Olhos marejados

De saudade

Do sorriso solto

Da dança fácil

Dos pequenos flertes

Da sede inacabável.

A folia acabou

Saudade

Da verdadeira história

Retratada

Da liberdade de expressão

Das bandeiras

E gritos de alerta

Da empatia

Pela felicidade.

A folia acabou

Restou a reforma da previdência

A educação

Ladeira abaixo

O feminicídio

O genocídio dos jovens negros

O desemprego.

A folia acabou

Restou um Brasil

Que chora as suas dores

Lágrimas que tentam lavar

E curar

O massacre

Do trabalhador brasileiro.

 

 

Na boca

Salgada…

Ah, mareada

Sereias

Mergulham

No êxtase

Profundo

Do gozo

Da Vida.

 

 

 

 

 

 

PRECISO ANDAR

 

No primeiro instante

Uma tristeza profunda

A terra sob os meus pés

Treme

Uma incerteza

Paira no ar

Logo mais

A respiração se estabiliza

O reflexo e a memória

Se dão as mãos

Como assim resistência?

Por acaso em algum momento

Da vida

Deixei de ser resistência?

Meu corpo negro

Esteriotipado, objetificado

Sempre foi resistência

E não será agora

Que será diferente

Olhos mais abertos

Intuição

Audição da alma

Juntos de mãos dadas

Com os meus

Eu te cuido

Tu me cuidas

Nós nos cuidamos

E seguimos

Pois a bala tem alvo

E na palheta de cores

O gato pardo

É Negro!