© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook

Kiara Baco Anhon
É natural de Alta Floresta/MT e atualmente reside em Sinop. Acadêmica do Curso de Letras da Unemat. Participação com poesia no livro Imortais II, organizado por Milton Pantaleão Junior, ALB- Academia de Letras do Brasil. Editora Alternativa, 2018; Publicou poesias no livro Veias Coronárias, antologia organizada por acadêmicos do Curso de Letras. Editora Bonecker, 2019. 

O SILÊNCIO

No alvorecer do dia
Escuta-se 
O som do silêncio
E o silêncio escuta o seu som
O som quase inaudível 
Impertinente 
Do movimento rotativo 
Imperceptível
Da terra sobre seu eixo
Sem ser sentida.
Dos átomos agitando o espaço
Sem ser vistos.
Da garoa fina caindo
Sem ser fria
Do tempo passando
Sem ser notado.

Escuta se assim o silêncio
Do som que não escutamos
Do nada que não vemos
Do movimento que não sentimos.

MORTEM

Névoa cinza
Cidade de espíritos
Devastada por vozes e ruídos
Cega-me
Cerca-me a minha humanidade.

Transformo-me em monstro...
Perco batimentos
Perco vida
Perco tudo
E o escuro me devora 
Até que não mais respiro
Vejo ou sinto.

Essa devastadora podridão 
Enlouquece o meu déficit
Corrói minha inexatidão
Mata-me e entristece-me

Entristece-me estar putrificada
E consumida pela existência
Apenas a “existência”

Lucidez embriagada
Vivo acordada
Alucinada com os piores alucinógenos
Minha própria decomposição
Aglutinados farma-tóxicos.