© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook

José Eduardo Martins de Barros Melo
Nasceu em Recife-PE, em 1962. Ao lado de Francisco Espinhara, iniciou o Movimento dos Escritores Independentes de Pernambuco e teve ativa participação na vida cultural nos anos 80. É estudioso da obra de Manuel Bandeira e sobre ele, além de diversos artigos, publicou os livros “Bandeira: uma poética de múltiplos espaços” e “Os caminhos Movediços de Bandeira. É professor do PPGMEL/UNIR, membro do Grupo de pesquisa em Poética Brasileira Contemporânea da Universidade Federal de Rondônia e da Diretoria executiva da revista do Centro de Estudos da Linguagem Re-UNIR. Publicou os livros de poemas Restos do fim (em parceria com Cida Pedrosa), A batalha pelo poema (Com Francisco Espinhara e Pedro do Amaral Costa), Eczema no lírico, Procissão da palavra, O lado Aberto, A palavra falta, Este livro não existe e outras inexistências, Retalhos de água” e o livro “Movimento dos Escritores Independentes (História e produção Literária) com Maria Elizabete Sanches, além do folheto intitulado NU-UN. Atualmente é consultor das revistas acadêmicas Reunir e Igarapé e atua como Coordenador do Curso de Letras à distância na Universidade Aberta do Brasil, na UNIR/Campus de Porto Velho.

OCEANOGRAFIA DO ROSTO

transparente, o rosto
também é água
fora de seus domínios

tenta ser olho apenas
para evadir-se
como parte de rio

em seu templo sereno
as ondas são inimigas
deste mar equilibrado

como concha, ainda
revela-se o rosto
Pacífico e Atlântico

Índico, em seu idílio
de remontar outro mar

Ártico, em desejo
de querer-se íntimo

Glacial, Antártico,
em desejo de se revelar.