João Pedro Boesing 
Cursa o segundo ano do ensino médio no Instituto Federal de Mato Grosso. Aos seus 16 anos, escreve crônicas e poesia, abordando questões relacionadas à vida cotidiana e às aflições internas, reais ou não.

ANSIEDADE

As cidades são grandes 
As pessoas muitas 
As noites curtas 
A lua tenaz 
Em pleno verão, o Sol já não se faz 
O vento sopra do Leste 
Do Oeste 
Quiçá do centro-oeste 
A se eu pudesse 
A se eu capaz fosse 
A se tu me deixaste 
Eu só não quero te sentir por toda parte 
Você é sorte 
Azar 
Revés 
E ao invés de permitir, sem ti não posso existir 
Existir posso 
Mas poder não posso 
Só não posso deixar de poder 
Porque quando não se pode 
Você pode se perder.

© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook