© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook

João Bosquo Cartola

Poeta, jornalista e licenciado em Letras/UFMT, mora e trabalha em Cuiabá. Como jornalista atuou nos jornais O Estado de Mato Grosso, A Gazeta (Cuiabá), em 2001 editou o semanário A Notícia (de Cáceres); presidente do Sindicato dos Jornalistas (1995-1998) e desde 2002 trabalha como assessor de imprensa, até janeiro de 2015, como repórter da Secom/MT, entre 2015 e 2017 volta à redação como repórter do *DC Ilustrado*, caderno de cultura do jornal Diário de Cuiabá, atualmente trabalha como freelancer. Morou em Curitiba, onde publicou o livro *Abaixo-Assinado* (1977) em parceria com L. E. Fachin. Em Cuiabá novamente, os livros *Sinais Antigos* (1981), *Outros Poemas* (1984), *Sonho de Menino é Piraputanga no Anzol* (2006) e *Imitações de Soneto* (2015). Participou das antologias *Abertura* (1976), *Panorama da Atual Poesia Cuiabana* (1986), *A Nova Poesia de Mato Grosso* (1986) e *Primeira Antologia dos Poetas Livres nas Praças Cuiabanas* (2005); com Abdiel ‘Bidi’ Pinheiro Duarte editou o alternativo *NAMARRA* (1984/86) e coordenou o projeto *POETAS VIVOS* (1987/88), da Casa da Cultura de Cuiabá.

EU VI UM SAPO CANTANDO

Eu ouvi um sapo
cantando a rã
naquele doce papo
pra faturar galã
 
eu ouvi um fiapo
de voz sabichã
imitando jenipapo
uma vez manhã
 
ouvi, quiçá, lapso
lábia de um sapo
de papo pro ar
sua veia musicar
 
eu vi a rã sonhar
corada, meio tesã
ora, saliente levar
fé no sapo tantã
 
hoje o sapo sutil
e a rã cortesã
namoram civil
tarde, noite, manhã.

SAPO SEM SAPA

O sapo cantor
O sapo editor
O sapo de mim
O sapo não sabia
 
O sapo na academia
 
O sapo de papo
O sapo sorria
O sapo no fim
O sapo dizia
 
O sapo na livraria
 
Quem livraria
O sapo da azia
O sapo azedo
O sapo mané
 
O sapo na putaria.

O SAPO FILÓSOFO

Sonhei que tinha um sapo na barriga.
Era um sapo grande, enorme...
Um sapo de olhos verdes, maravilhosos,
que diziam coisas em francês,
e muito das vezes não entendia,
só sabia que era sapo, fazia filosofia
e estava na minha barriga
 
Sonhei que tinha um sapo na barriga.
Acordei e pensei que estava grávido
de uma possibilidade maior que o sonho:
O sapo (por mim) não sentia repulsa,
me entendia como ser humano e falava coisas,
ditos interessantes, por exemplo: Bom dia!..
E o sapo continuava na minha barriga.