© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook

Janet Zimmermann  

É natural de Catuípe (RS) e mora em Campo Grande (MS). Tem, publicados, dois livros de poemas: “Asas de JIZ”, Editora Life (2013) e “Pétalas Secretas”, Editora Patuá (2016), com o qual venceu, em 2017, o Prêmio Guavira de Literatura. Dentre as várias antologias que participou, destaca: “As Mulheres Poetas na Literatura Brasileira”- Volume II, coletânea em e-book, criada, organizada e divulgada pelo poeta Rubens Jardim.

A LUA

se insurge
bisolha
entra pela fresta
roça meus cabelos
inunda-os
e se derrete
no meu travesseiro
que susto bom! sussurro 
no ouvido dela e ela
telepática/mente
canta tom jobim
sol pra mim
enquanto vênus
vela ela e eu
o resto é breu 
& brisa
de prateada poesia 
respiro fundo
pra não desperdiçar
o perfume da paz
deleitosamente 
invasivo
e não durmo
prego o olho no olho 
da bela das belas
na tentativa de ler 
a fidelidade mais fiel
da terra
e só vejo amor
derramando-se em luz
dádiva 
que só arreda facho
pra urinar
no penico-mar
do singular pluralizado
vinicius de moraes
toda a guarda me comove
a ponto de pranto
guardo o exemplo
e a admiração
e volto ao sujeito
desta verídica ilusão
e a vejo
num sono pesado...
ao meu lado!
como se nunca
houvesse dormido
silencio
sou vela da vela 
da terra
estou estrela
do bom pastor
do lado
de cá
da janela