Janet Zimmermann  

É natural de Catuípe (RS) e mora em Campo Grande (MS). Tem, publicados, dois livros de poemas: “Asas de JIZ”, Editora Life (2013) e “Pétalas Secretas”, Editora Patuá (2016), com o qual venceu, em 2017, o Prêmio Guavira de Literatura. Dentre as várias antologias que participou, destaca: “As Mulheres Poetas na Literatura Brasileira”- Volume II, coletânea em e-book, criada, organizada e divulgada pelo poeta Rubens Jardim.

ONOMATOPEIA TORTURANTE

uma placa de  V E N D E - S E
qualquer troço

uma  H O R R E N D A placa de metal
com letreiro em branco e preto

uma maldita e grave placa
C O V A R D E M E N T E
pregada no pescoço de um coqueiro
[tão lindo, tão moço!
nascido crescido e residente e domiciliado
no acostamento da beerre zero sessenta 
pertinho do Bolicho Seco
ali de Sidrolândia 

o vento árido do árido mês
replicava incessantemente
torturante onomatopeia
enquanto eu olhava olhava e orvalhava
a minha sequidão
                         indignada...

sim, dois mil e dezenove 
foi um ano catastrófico,
mas aqueles plac-placs ainda estapeiam
a minha consciência
                               alheia

“v e n d e - s e”
O RAIO QUE A PARTA!
 

© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook