pixé_03.jpg

Helvio Moraes
Possui Mestrado (2005) e Doutorado (2010) em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Realizou estágio de doutorado na Università di Bologna. Atualmente é Professor Adjunto da Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT, credenciado (docente permanente) no Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários - PPGEL, com sede em Tangará da Serra. De fevereiro de 2015 a fevereiro de 2016, foi visiting professor junto ao Dipartimento di Scienze Politiche e Sociali da Università degli Studi di Firenze, Itália. Publicou o livro A Cidade Feliz (Ed. da Unicamp, 2011), que compreende o estudo e a tradução comentada da utopia de Francesco Patrizi da Cherso. Na carreira artística, lançou recentemente o álbum musical “Profano Absoluto”.

QUIMERA

Os dias passam iguais
Sem mais
Mas o que arde nas cinzas da longa espera?
Que febre, que fogo ameaçam meu cais
Bem mais
Que esse vazio que impera?

O silêncio na sala me fere e me nega
Tudo o que o peito pede
Tudo o que o sonho gera
Na rua vazia vagueia uma fera
Sem lei, sem pecado
Sem cuidado ou violência

Os dias passam iguais
Sem mais
(Mas a calmaria envolve o ardor do mar por inteiro 
E a calada estrela me sabe encantar 
Bem mais 
Que as centelhas de um fogo ligeiro)

No céu da cidade o azul quase cega
O olhar avezado às sombras da caverna
Colho seus retalhos de cada janela
Pra compor manhã
Na aparência vã
Da quimera

© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook