33.png

Helena Werneck
Cuiabana, formada em Secretariado no IFMT, e vencedora do prêmio de literatura de Mato Grosso de 2017 categoria revelação com a obra de título “Nu”.

FERAS

Pensei que eu sabia escrever
Mas na verdade eu não sei mais
As palavras que antes pulavam hoje ficaram pra trás 
O tempo e a saudade já não me causam a angústia das sílabas rimadas 
Não bebo mais vinho na rua do homem que engolia espadas 
Hoje eu vivo num quarto branco num prédio cheio de escadas 
Hoje eu acredito em feras 
Antes eu acreditava em fadas

 

 

 

MORTE

Trago a notícia bucólica 
O pecado que nos rodeia
O meu coração dói de cólica 
E por isso o sangue não bombeia 
Pele fria molhada e clara
Dormindo sobre o sereno
As vezes a joia mais rara
É também o pior veneno 
Como como quem tem fome
Morro de amor todo dia 
Vivo por amar mais um dia
Meu peito que nem batia 
Hoje batuca o seu nome

© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook