29.jpg

Flavia Ferrari (Santana de Parnaíba/SP) 
É escritora e poeta. Escreve contos infantis desde 2014. Estreou na poesia em 2020, no início da pandemia. Teve poemas publicados pela Escrita Cafeína e pela Toma Aí Um Poema (menção honrosa). É mãe, professora e mantém um relacionamento amoroso sério com a poesia.

DEPOIS DA CHUVA

A minha alma lavada
repousa em um varal
de corda bamba
em que o peso e o acúmulo 
de águas passadas
tocam o solo
enquanto o vento se funde
à substância
e leva...

 

 

 

 

 


FRESTAS

Há frestas por onde o sangue aflora
e o excesso escorre 
e que cicatrizam

Há frestas que revelam
fragilidade
e uma ruptura iminente

Há frestas que acusam
um passado negligente
futuro incerto

Há frestas que orientam
que contam histórias
e aguentam

Há frestas que não cicatrizam
endurecidas
por onde só passa o ar
imperceptível 

Há frestas invisíveis
que só se mostram na claridade
e somem quando chegam as sombras

Há frestas por onde brotam
elementos vivos
quando já não mais acreditamos  
e resistem