Elizandra Souza 
É Poeta, jornalista, integrante do Sarau das Pretas, ativista cultural há 17 anos. Autora do livro de poesias Águas da Cabaça, 2012. Coautora do livro de poesias Punga com Akins Kintê (Edições Toró, 2007) e participação em antologias literárias. Organizadora das publicações do Coletivo Mjiba, como Terra Fértil, de Jenyffer Nascimento (2014) e Pretextos de Mulheres Negras (2013), antologia de que participam diversas mulheres negras. Trabalhou como editora e jornalista responsável na Agenda Cultural da Periferia na Ação Educativa (2007-2017). Atualmente Educadora de Comunicação na Associação Bloco do Beco.

É EM LEGÍTIMA DEFESA

Só estou avisando vai mudar o placar...
Já estou vendo nos varais os testículos dos homens,
que não sabem se comportar 
Lembra da cabeleireira que mataram, outro dia,
E as pilhas de denúncias não atendidas?
Que a notícia virou novela e impunidade
É mulher morta nos quatro cantos da cidade...

Só estou avisando vai mudar o placar...
A manchete de amanhã terá uma mulher, 
de cabeça erguida, dizendo:
– Matei! E não me arrependo!
Quando o apresentador questioná-la
Ela simplesmente retocará a maquiagem.
Não quer esta feia quando a câmera retornar
e focar em seus olhos, em seus lábios...

Só estou avisando, vai mudar o placar...
Se a justiça é cega, o rasgo na retina pode ser acidental
Afinal, jogar um carro na represa deve ser normal...
Jogar a carne para os cachorros procedimento casual...

Só estou avisando, vai mudar o placar...
Dizem que mulher sabe vingar
Talvez ela não mate com as mãos, mas mande trucidar
Talvez ela não atire, mas sabe como envenenar...
Talvez ela não arranque os olhos, mas sabe como cegar...

Só estou avisando, vai mudar o placar

PALAVRA DE MULHER PRETA

Palavra de Mulher Preta
Mulher preta de palavra
Preta de palavra
Palavra de Preta

Lava alma preta
Palavra sagrada de mulher 
Se a minha alma é preta
E a minha sociedade não me aceita
Minha palavra sagrada sangra

Palavras que nos irmanam
Separam o joio do trigo
... o barro do rio que decanta
...encantam os versos da preta
...palavras que declama

Clama, canta, encanta
De cantaremos o preconceito
Até que ele reme para o longe
Fique sem eira nem beira...
Vá para o ontem...

Palavra de mulher preta
Mulher preta de palavra
Preta de Palavra 
Palavra de Preta

CHAMADO

Vozeria, gritaria
Identidades diversas
O avesso do eu 
Colcha do retalho do nós
Ancestralidade clama
Para acendermos a chama

© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook