Elisa Pereira 
É poeta, escritora. Nascida em Belo Horizonte, Minas Gerais. Ganhadora do Prêmio Nacional de Literatura Poesias Carlos Drummond de Andrade/SESC-DF (2016), 2º. Lugar, Finalista no V Certame Literário – Poemas para La Mujer –Conocimiento e Innovación Intercultural A. C.”Armando Hart Dávalos” - México, com o poema: Niña o Mujer. Participa de várias Coletâneas e Revistas Literárias Nacionais e Internacionais. Publicou em 2018, seu primeiro livro de poesia, “Memórias da Pele” (Chiado Books), integrante da equipe de produção do Sarau Fuzuê Literário em Paraty/RJ. Face: Elisa Pereira Poesia, insta: @elisapereira1975.

Asas abertas ao vento, no cume da montanha
a paz descansa, no colo da esperança.

Pássaros sobrevoam flores e passados, confundindo as
cores vivas do amanhã.

O ímpeto do canto livre de uma águia, desperta alegria.
Disperso, um bando de andorinhas escurece o céu,
anunciando o verão.

Eis que é chegada a hora, o melhor tempo é agora,
a vida te chama para fora.
Voe.

Hoje me sinto dividida,
entre ser menina ou ser mulher.
O espelho insiste em dizer que envelheci
mas dentro em mim acabo de nascer.

Uma vida repentina despertou meu ser,
só sei que quero e quero querer viver.
Sim tenho medo, mas agora ele me serve de arreio,
para que eu possa ir mais longe.

Se for para ser mulher,
quero ser mulher de asas e traçar meus voos
em direção ao desconhecido
Se for para ser menina,
quero ser menina doce e viver de amores.

Decido ser hoje, o que nunca fui,
menina livre,
mulher por inteiro.
 

© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook