Texto - Mahon.jpg

Eduardo Mahon

43, é carioca da gema, advogado e escritor. Mora em Cuiabá com a esposa Clarisse Mahon, onde passa sufoco com seus trigêmeos: José Geraldo, João Gabriel e Eduardo Jorge. Autor de livros de poemas, contos e romances, publica pela Editora Carlini e Caniato.  

DESBRAVADOR


À M. Mourivaldo

Para que perder-se em caminhos virgens
E sair do lar sem destino certo?
Não haverá ninguém esperando de braços abertos
Com a mesa posta e a roupa lavada
Nem quem arrume as camas, dobre os lençóis
Faça o café, sirva a omelete e sorria de manhã

Seja lá onde for que se queira pisar pela primeira vez
Na mudez do desconhecido, será um deserto de gente
E então, após o gozo dos descobridores de terras novas,
Você saberá que foi longe demais por ter ido sozinho
Saberá que bandeiras não tremulam sem o vento da pátria
Saberá, ainda, que o seu lar está nos abraços dos amigos
Nos beijos das amantes, no cheiro do pão fresco
Que faz da esquina da sua antiga rua um solo sagrado

À noite, nos seus exílios visionários de vanguarda,
Sob estrelas que não testemunham seus feitos inéditos
Você há de lembrar da sua casa e querer voltar 
Com notícias de espanto e orgulho de sobrevivente
Vai querer segredar as conquistas aos parceiros de copo
Amar a mulher que ainda usa o mesmo perfume
Beijar os seus filhos que, já crescidos, não correm pela casa
E proclamar a todos do seu condomínio que voltou diferente

© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook