© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook

Divanize Carbonieri

Doutora em Letras pela Universidade de São Paulo e professora de literaturas de língua inglesa na Universidade Federal de Mato Grosso. É autora de Grande depósito de bugigangas (2018), selecionado no Edital de Fomento à Cultura de Cuiabá, e de Entraves (2017), vencedor do Prêmio Mato Grosso de Literatura na categoria Poesia. Foi finalista do Prêmio Off Flip 2018 (Poesia) e selecionada para a antologia poética no 3o Concurso Lamparina Pública em 2016. É uma das editoras da revista literária digital Ruído Manifesto.

LÍQUIDO


os peixes se entrecruzam no mar espesso
cortam caminho em meio denso cor de âmbar
ou cristalino entremeado de luzeiros
percorrem toda extensão que as águas encobrem
separados do céu num exílio eterno
isolados como nós que somos cindidos
anfíbios antigos mix de peixes e bípedes
a terra que nos dá forma e consumirá
cuspirá fora nosso líquido ancestral
que retorna sempre contornando os obstáculos
aplainando asperezas e limitações
até sobrar só o liso por que corre o fluxo

 

 

REBENTO


de boa cepa nasce o rebento por entre
as rochas brotando no território de outros
serpenteia o corpo tenro rumo ao céu
estica ao sabor da intempérie e exposto
como os demais ramos batidos na tormenta
sobe moroso até se tornar tronco inteiro
tora redonda com cúpula bem aberta
na mata tudo parece mesmo sereno
mas bem se sabe que os ipês e as samambaias
como as sibipirunas embatem-se pelo
espaço parco para permanecer sempre
mesmo sem propósito certo na existência