© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook

Debora Pio
É formada em Letras e Linguística pela USP – Universidade de São Paulo, com pós-graduação em Semiótica e Linguística Geral, também pela USP. Vive há dezenove anos em Atenas, Grécia, onde leciona Português Língua Estrangeira e Português Língua de Herança. Escreve contos e poemas desde a infância, tendo publicações na Itália, Suíca, Alemanha. Foi Membro da Academia Juvenil de Letras “Monteiro Lobato”, em São Paulo. Em 2018 recebeu Menção Honrosa no Prêmio Mundial de Poesia Nosside.

... E TU NÃO VOLTARÁS​

Tuas fotos já não posso olhar,
Pois que a vista se me turva e me trai
Minhas mãos, ao invés de acariciar teu pelo macio
Tocam o teclado tecnológico e frio para traçar essas linhas
Insuficientes para que eu expresse a minha dor.
Teu olhar de amor, teu gesto de carinho, mordiscando meus cabelos,
Minhas mãos... jamais esquecerei o que eu sentia naqueles momentos
Momentos só nossos que não mais se repetirão
Porque foram únicos.
Tua voz rouca, teu calor tão gostoso são agora memórias
Doces e doloridas nesse momento.
Agora, meu amor, encontras-te livre do peso da vida
Livre de um corpo adoentado e enfraquecido,
Poderás correr feliz novamente e pular onde quiseres,
No infinito,
Como anjo que te tornaste.

Minha saudade eterna,
E obrigada por teres existido em minha vida!

Te amarei sempre, minha Mimi...