© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook

Lívia Bertges

(1987, Juiz de Fora – MG) é doutoranda em Estudos Literários (UFMT) com estágio sanduíche na Sorbonne Université (Paris, França). É mestra em Estudos Literários (UFMT) e em Langues et Cultures Etrangères (Université Stendhal). Publicou artigos e poemas em revistas, antologias e sites. É editora da revista literária Ruído Manifesto.

PROVISÃO

Dos abusos
Que nos impomos
De não olharmos
Através das cortinas
Dos compartilhamentos
Em reclusão
Sem concluir
Estar no imperativo
Pranto e ouvidos fechados
Das omissões que
Doem e colam bocas
Com medo
Da falta de dizer
Por não prever esperança
Por não prover esperança
No engano estéril
O berro no barro
Assopra pele ressecada
Sem massa a correr
Digamos que seja possível
Continuar
Digamos que seja possível
Alegar
A passagem impedida pelo
Camburão, 
Armas abertas,
Fogo em compaixão
Sentido
Sentimento 
Inócuo
Palavra sem repouso
E a mansidão insiste, 
inexiste.