© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook

Mató Pia Tedesco

É artista plástica.

BIOGRAFIA

Eu mesma Matò,


Viajando na máquina do tempo, essa viagem está suspensa entre o céu e a terra. Dos ancestrais seguindo para o Universo mais fantasioso e imenso. Fugir do perigo maior que seria reduzir-se à mera decoração de interiores. A figura romântica do artista inspirado e boêmio é substituída pelo projetista, designer, inventor de formas e de possibilidades infinitas, como no meu mundo.


Às vezes fiz um salto na antiguidade com formas esculturais e eróticas, uma década pintando Deuses Egípcios, ou, realismo puro. A minha máquina ainda explorou as florestas amazônicas, entre galhos pegando o fogo nos crepúsculos. Constantemente suspensa nesse universo atemporal, as formas ficaram leves, minimalismo concreto, onde a minha Arte se reduziu ao traço, ao gesto espontâneo de um eclético artista contemporâneo que faz da luzo seu maior enigma! (ainda é o maior enigma).


Em fé para todos Matò (Maria Pia Tedesco , desde 1983 no Brasil, dividida entre a Europa e América. Fiz muitas mostras individuais pelo mundo, Alemanha, Espanha, Holanda, Itália, Egito, Brasil. Vários prêmios vieram no curso de 40 anos de pintura. Um pincel de ouro, concurso em Ravenna (Itália) Recensões de Críticos de Artes, desde Achille Bonito Oliva, Vittorio Sgarbi, Valerio Grimaldi,  e muitos outros. Em Mato Grosso, a Prof. Aline Figueiredo soube ler as entrelinhas do meu fazer-arte sem freios, sempre fiel à liberdade criativa e ao lirismo das cores. E, agora, Pixé!