8.png

César Veneziani
É mestre em Estudos da Tradução pela FFLCH-USP. Publicou os livros de poemas: “Asas” (Utopia Editora, 2009); “Neblina” (Editora Patuá, 2012); “Versos Avulsos e Outras Valsas” (Editora Patuá, 2015); “Dicioneto Mitopoético – de Afrodite a Zeus” (MorningStar Books, 2018); e “Estações do Ano e da Vida” (Editora Patuá, 2020).

INGUINORÂNÇA

Já quizcrevê direitchu num importa
Iu importanti é a cumunicassão,
Uqui us mestrinssina é çó lorota
U dissionáro é çó pra vassilão

 

Cumigu as mina gosta i sempri vorta.
Pra elas uqui vali é a zarassão.
Falá dilivru é çó pra genti morta.
Eu nuncatô çozinhu, viu mermão!

 

Praquê querê çabê cié “éci” ô “sê”,
Uquiqui miádi anta fazê comta?
Tirá zeru naprova nuimti mida!

 

Eu dêchu eças frezcuraí prussê.
Iztudu é perdetempu a jentitonta:
Siliga, não siméte, é minha a vida!!!

© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook