Caio Augusto Ribeiro

É ator e diretor inscrito pelo DRT 0000651\MT. Começou os trabalhos como ator em 2009. Autor do livro “Porão da Alma” (clube de autores), Colecionador De Tempestades (Carlini&Caniato) e Manifesto da Manifesta (Carlini&Caniato), diretor do curta-metragem Réqueim Para Flores (2017). Fundador do coletivo de artes hibridas Coma A Fronteira. Atualmente desenvolve trabalhos levando poesias e processos criativos para as escolas e faculdades. Realiza oficinas voltadas para produção poética, arte urbana e teatro. Mas no fundo, prefere passar o dia no jardim olhando folhas e formigas.

No alto da montanha
eu vi por cima de tudo
e de todos
e não era sobre isto

Fui ao fundo
da montanha
Fui ao fundo 
da montanha
Fui ao fundo
da montanha
Procurar

Lá, 
o que eu encontrei
foi um reencontro.
Abracei meu Eu 
Criança
e reacendi
a esperança
de agora em diante
ser todo meu

No fundo da montanha, 
pai,
encontrei você:
dentes amarelados, 
barba por fazer.
Aquele constrangimento de sempre.
como posso dizer obrigado
se eu minto com você mente
e sinto tudo o que você
sente?

Obrigado pai, 
porque teus erros me fizeram subir ao topo da montanha. E eu não encontrei nada lá em cima, além da minha força na subida.

Obrigado pai
porque a vontade de não ser como você, me trouxe para o fundo da montanha. Onde eu tenho uma chance
uma única chance
de me refazer. 

© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook