34.png

Márcio Mendes
Nascido em Cuiabá, um auto didata, escritor e compositor. É autor de “Uma Noite de Insônia” e “Uma Janela Espia Um Outro Lado de Sua Mente” Atualmente escrevendo “Separada Dividida”. Participou da Revistas Ruído Manifesto, uma com Poesias e um conto “Viagem Rumo ao Covid-19.

HAVIA

Na travessia da minha vida
por entre os caminhos em que andei havia... 
Havia um grande amor.
Um grande amor, na travessia da minha vida
por entre os caminhos em que andei havia.
Havia pessoas, plantas, animais, havia esplendor, havia vida
Tudo havia na travessia da minha vida que havia...
Havia suor, havia ternura, havia amor, havia poesia
Na travessia da minha vida
por entre os caminhos em que andei havia 
Havia outras circunstâncias também
Havia dor, havia pena, havia pavor
havia intensidade no intrínseco do meu interior
Na travessia da minha vida havia o bem
Havia pessoas, havia carinho, havia amor
Na travessia da minha vida que havia...
Por entre os caminhos em que andei havia 
Havia vidas vivendo um dia de cada vez...
Por isso, um dia de cada vez vivia a vida
vivia um dia, dois dias, três dias, os demais dias
Nos dias da minha travessia que havia
por entre os caminhos em que andei
No meio do caminho sempre havia amor
Amor aos meus, amor próprio, amor aos seus
havia a força de um desejo com fervor
Valorizando o meu próprio eu 
O eu indivíduo, eu pessoa, eu amor
Porque na travessia da minha vida
por entre os caminhos em que andei havia
Havia, e sempre há de existir porque sempre havia...
Havia o eu, havia o meu, havia o seu
Havia uma ruela, uma estrada, uma avenida
Havia uma travessia, nos caminhos da minha vida que havia
Havia sempre um grande amor
Havia uma travessia que havia...