© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook

Antonio Lisboa Carvalho de Miranda
É maranhense nascido em 5 de agosto de 1940.  Foi colaborador de revistas e suplementos literários como o Suplemento Dominical do Jornal do Brasil e também o La Nación (Buenos Aires, Argentina) e Imagen (Caracas, Venezuela). Doutor em Ciência da Comunicação (Universidade de São Paulo, 1987), fez mestrado em Biblioteconomia na Loughborough University of Technology, LUT, Inglaterra, 1975. Sua formação em Bibliotecologia é da Universidad Central de Venezuela, UCV, Venezuela, 1970. Professor Emérito e ex-coordenador do Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação do Departamento de Ciência da Informação e Documentação da Universidade de Brasília (UnB), Brasil, ministra aulas e cursos por todo o Brasil e países ibero-americanos. Aposentado, é professor Colaborador Sênior, e orientador de teses e pesquisas. Organizador e primeiro Diretor da Biblioteca Nacional de Brasília, de fev. 2007 a out. de 2011. fev. 2015 - maio 2017. É poeta, dramaturgo e ensaísta. 

POEMA INDI - VISIVEL

Paradoxalmente
o poema é um sistema
em sua totalidade:
                               partículas em fluxo
interativo
— internas e externas
partículas     articuladas
mas (também) contrastantes
obstante, flutuantes —
do particular ao geral
do pessoal ao multidimensional
celular     galáctico
da organização molecular à atômica.

Fora do sistema, o caos
sua decomposição
desordem.


Do meu poema
sai o de outro
(que vem de outrem)
na nossa tríade constitucional:

ontem – hoje - amanhã
    
antes – agora – depois.

Sistema como objeto
— objeto como sistema.