11.png

André Siqueira
É poeta residente em Jacareí, interior de São Paulo. Colaborou nas revistas Acrobata, Subversa, Mallarmargens, Ruído Manifesto, Gueto, Aboio, entre outras. Publicou de forma independente dois livretos, e em 2020 seu primeiro livro de poesia  As Manhãs Fechadas (editora Gataria) foi lançado. Cursou a faculdade de Letras, sem concluir, e participa de eventos, oficinas entre outras loucuras literárias.

RETROESCAVADEIRA MODELO 2021

a retroescavadeira barulha os ouvidos
voltados para a obra da prefeitura 
com seus homens equipados 
de mãos jovens e meia-idade 
librando tédio e má catadura 
no tripé de máquina e membros 
caçamba pernas estabilizadoras 
canivete suíço braço lança pá 
cabine carregada de nervos 
lá um confinado cava 
morosamente a rua sobre pobres
terras poeira pedras um feldspato 
na movimentação esquelética 
dos funcionários a serviço 

 

a retroescavadeira barulha os ouvidos 
mas sei por que não lembramos 
da tubulação ou demolição próprias 
da retroescavadeira a terraplanar 
a vala e seu calcário construídos 
à britadeira 
porque cavando e mais ainda
escavando pensamos em covas
sob o entulho da morte que trabalha 
sem precisar de licença

 

 

 

_____

 

 


O PASSANTE

 

o ferro de passar 
passa a vida amassada 
assim assada fria
no mal passado sonho 
tudo foi pé na tábua 
o passado passou
ligeiro que nem vi
o escorredor do tempo
dizendo já furtivo:
o futuro passado
será somente mais
um passo dado em falso