André Siqueira

É poeta residente em Jacareí, interior de São Paulo. Já publicou poemas em várias antologias, revistas, jornais e sites de literatura. Publicou de forma independente dois livretos intitulados “Quase Ontem” e “As manhãs fechadas”. Cursou a faculdade de Letras, porém sem concluir e atualmente faz Pedagogia, além de participar de eventos literários, oficinas de poesia e demais trabalhos.

QUARENTENA

Os objetos conhecem 
os quartos, partes, cômodos,
extensões de remansos 
que abrigam toda a gente
íntima do silêncio
isolado na espera
de cada ser fechado.
Testemunhas ocultas
mesmo que emudecidas,
hospedeiros de gente
no vírus desse mundo.
Sem luva sinto, pálido:
os objetos na casa
prosseguem retesados 
e infectados de gente.

 

 

FUROR

 

Li seu e-mail agora há pouco. Faz caluda. Tento ligar os pontos mas que nada. The ordinary boys ao aplicativo do uber com leve blissful sunday afternoon. Vigio o flash dos pássaros em V. Não consigo responder agora. Inseto desfazendo-se na tela do celular. Não consigo responder agora. Cada ruído lá fora é ciranda, um estouro da penumbra dentro. Ventilar a dor.

© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook