Agnaldo Batista de Lima 
É natural de Mariluz, PR. Licenciado em Letras pela Unemat – Universidade do Estado de Mato Grosso (2002). Especialista em Língua Portuguesa e Literaturas pelo ICE – Instituto Cuiabano de Educação (2004). Especialista em Gestão Escolar pela UFMT – Universidade do Estado de Mato Grosso (2010). Mestre em Letras pelo Profletras – Mestrado Profissional em Letras Unemat – Unidade Campus de Sinop, 2019. Tem artigos publicados nas áreas de Literatura, Linguística e Cidadania e Controle Social. Organizou a publicação de coletânea de poesias de alunos na obra Um convite à leitura (2011; 2012; 2014) e a coletânea Poemas na escola (2018). É professor na rede municipal de ensino de Alta Floresta, MT.

LUA 

quando o sol em fuga
abato-me em fadiga e saudades
busco respostas no silêncio da noite 
para abrandar em luz
a escuridão que devora 
meu corpo em cansaço

duas fases me bastam

Nova é fase primeira
eclipsa na efervescência do cosmo
reascende a chama da aurora 
como paixão 
que renasce em mim
sempre  viva e nova

Cheia é deusa iluminada
cintila o manto escuro da noite
resplandece meus sonhos
como olhos de minha amada
entre as ramagens 
vem me ver de amor cheia


APREÇO AS COISAS MENORES

(para Manoel de Barros – in memoriam)

 

dei conta de mim
aos versos de infância  
em descuido descobri 
que tenho apreços por seres 
menores e importantes

aprecio os minúsculos corais
mais que submarinos ao mar 
e admiro as gaivotas 
mais que aviões 
em destinos incertos aos céus

carrego na alma um profundo
anseio de silêncio e 
inocência de meninos
mais que as certezas 
de grandes homens na terra

prefiro uma nobre casinha
de janelas abertas ao sol
de meus devaneios 
onde possa sentir o mundo 
ao meu tamanho 
e sabor

© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook