Agnaldo Batista de Lima 
É natural de Mariluz, PR. Licenciado em Letras pela Unemat – Universidade do Estado de Mato Grosso (2002). Especialista em Língua Portuguesa e Literaturas pelo ICE – Instituto Cuiabano de Educação (2004). Especialista em Gestão Escolar pela UFMT – Universidade do Estado de Mato Grosso (2010). Mestre em Letras pelo Profletras – Mestrado Profissional em Letras Unemat – Unidade Campus de Sinop, 2019. Tem artigos publicados nas áreas de Literatura, Linguística e Cidadania e Controle Social. Organizou a publicação de coletânea de poesias de alunos na obra Um convite à leitura (2011; 2012; 2014) e a coletânea Poemas na escola (2018). É professor na rede municipal de ensino de Alta Floresta, MT.

RÉVEILLON À BRASILEIRA

Mais um ano 
engarrafado na serra 
na marginal 
descendo ao litoral 
com a cifra certa 
espremida no bolso 
brasileiro colosso 
que “preza” ser feliz 
de praia e samba. 
Mais um ano 
contas no vermelho 
não sobrou cascalho 
teve que emprestar 
(sem problema rapaz 
vou pra Ipanema) 
que venha o próximo 
a gente labuta 
passa mais um 
é a cruz acredita. 
Mais um ano 
que tão repentino 
sequer viu passar (e agora?) 
efêmera euforia 
para trás ficou 
aumento na luz 
na carne no gás 
aflito e frito 
com os boletos 
não há jeito é já. 
Mais um ano novo 
o tempo não passa 
as coisas se arrastam 
bonança não tem 
a crença no peito 
logo isso finda 
e tudo prospera. 
(Ah, Deus vai me ajudar 
o ano que vem!)

© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook