Aclyse Mattos

É escritor e poeta. Flor de metal foi escrita no Rio de Janeiro na época em que o Peça Original ensaiava na Ilha do Governador para tocar no Planetário e sobre a noite esfumaçada na Avenida Brasil a lua quicava sobre os prédios ao sabor das curvas. Livros recentes: O Sexofonista (contos), Sabiapoca (infantil) e Festa (poesia).

UMA THURMAN EM UBATUBA
Poema calúnia social
A meu amigo Lorenzo Falcão

Uma turma
    - quase turba –
no verão
    das águas turvas
decidiu
    passar as férias:
litoral 
de Ubatuba.

Pois não é
    -grande surpresa,
já que o mar
    não é represa –
que desponta
    - ó visão turva:
Uma Thurman
    em Ubatuba!

Que faria
    a musa ali    
num biquíni
    cor caqui?
Está solta?
    Acompanhada?
Do marido?
    Ou da cunhada?
Imagina
    xas turmada.

Se Brigitte
esteve em Búzios,
para não
    ficar confusos
decidiu-se
    toda turma
ir falar
    com a bela Thurman.

Mal trocou-se
    uma palavra
- uma ao menos
    bela Uma! –
Mas quando ela
    abre um sorriso,
espoca um flash,
    era um aviso!
Era um filme?
    Ou era um sonho
contra os dias
    enfadonhos?

E que linda
    - sol e ouro,
olhos d’águas,
    corpo em fogo!
Mas que flash?
    Mas que jogo?
Mas acorda
    e era um logro!

Mamãe força
    a fechadura
( o que é bom
    será perdura?)
Uma Thurman
    em Ubatuba
não passou 
    de uma aventura!
Acorda,
    a vida continua.
Vê, respeita
    o não perturba.
 

© 2019 - Revista Literária Pixé.

  • Facebook